Insetos rasteiros

Baratas, traças, pulgas, carrapatos, formigas, percevejos, aranhas e escorpiões.

BARATAS – Principais espécies:

Barata de esgoto – (Periplaneta americana)

– Barata alemã, francesinha ou barata de cozinha –(Blatella germanica)

TRAÇAS – São conhecidas duas ordens:

– O grupo formado pelas traças dos livros ou traças prateadas pertencentes à Ordem Thysanura

– O grupo formado pelas traças das roupas e as traças de produtos armazenados, pertencentes à Ordem Lepidoptera.

FORMIGAS – Principais espécies:

– Formiga fantasma – Tapinoma melanocephalum

– Formiga-louca – Paratrechina longicornis

– Formiga-do-faraó – Monomorium pharaonis

– Formiga argentina – Linepithema humile

– Pequena fomiga-de-fogo – Wasmannia auropunctata

– Formigas-carpinteiras – Camponotus spp.

PULGAS – Principais espécies:

– Pulga do rato – (Xenopsylla cheopis)

– Pulga do cão – (Ctenocephalides canis)

– Pulga do gato – (Ctenocephalides felis)

– Pulga do homem –(Pulex irritans)

CARRAPATOS – Principais espécies:

– Carrapato-de-boi – Boophilus microplus

– Carrapato-de-cavalo ou Carrapato Estrela – Amblyomma cajennense

– Carrapato-vermelho-do-cão – Rhipicephalus sanguineus

– Carrapato-comum – Ixodes ricinus

– Carrapato-de-galinha – Argas miniatus

PERCEVEJOS – Principais Espécies

– Cimex lectularius e Cimex hemipterus – Pertencentes à Família Cimicidae

ARACNÍDEOS

ARANHAS – Principais Espécies:

Aranha Caranguejeira – (várias espécies)

Aranha Armadeira (Phoneutria nigriventer)

Aranha de Jardim ou Tarântula – (Lycosa erythrognatha)

Viúva Negra (Latrodectus curacaviensis)

Aranha Marrom (Loxosceles spp.)

ESCORPIÕES – Principais Espécies:

Escorpião AmareloTityus serrulatus. É o mais venenoso e mais frequentemente encontrado na região Sudeste, sendo o Paraná, Bahia e sul de Goiás os locais com maior incidência.

Escorpião preto ou marrom Tityus bahiensis. Apêndices mais claros com manchas na mesma cor do corpo. É encontrado da Bahia ao norte da Argentina, Mato Grosso do Sul e Paraguai.

Prevenção

  • Em locais onde há infestações, manter camas afastadas das paredes (cerca de 10 cm);
  • Manter o local livre de insetos que sirvam de alimentos aos escorpiões, como baratas e, em caso de infestações, fazer o controle dos mesmos;
  • Manter sempre limpas as áreas próximas à residência, deixando livre de entulhos, lixo e restos de materiais de construção;
  • Manter ralos bem fechados;
  • Sempre examinar roupas e sapatos, sacudindo-os antes de utilizá-los;
  • Vedar frestas e buracos que possam servir de abrigo;
  • Colocar telas protetoras em portas e janelas;
  • Usar sempre calçados e luvas protetoras em atividades rurais e jardinagem;
  • Em áreas rurais, se possível, criar aves que são predadoras de escorpiões.

Método de controle:

Pulverização Líquida 

Aspersão de inseticida emulsionado em solução aquosa de baixo odor e reduzido grau tóxico com efeitos, desalojante, knockdown (choque) e residual, atuando por contato.

A aplicação destina-se aos focos ou áreas infestadas, pontos de passagem, alimentação e habitat do inseto ou praga alvo, como: pisos e paredes, ralos, frestas, armários, prateleiras, forrações, espaços falsos, redes de esgoto, lixeiras, depósitos, etc.

Polvilhamento

Aplicaão de produto inseticida formulado em matéria inerte tipo pó seco sem odor e com reduzido grau tóxico, com alto poder residual, atuando por contato.

A aplicação destina-se a focos situados em pontos com eletricidade como, eletrodutos, caixas de fusíveis e telefone, centrais elétricas e motores e equipamentos elétricos em geral, luminárias, espaços falsos ou vagos como alguns tipos de forrações e caixas de passagem da rede de esgoto, bueiros, entre outras aplicações.

Termonebulização

Aplicação de inseticida solubilizado em solventes orgânicos, mas no estado de névoa fina (fumaça), com efeito, de knockdown (choque) e desalojante, atuando por contato quando já condensado e aspiração ainda no estado de névoa.

A aplicação destina-se a áreas externas, condomínios, indústrias, depósitos em geral muito carregados onde o acesso líquido torne-se difícil, ou como complemento e coadjuvante em diversos tipos de controle, principalmente em áreas externas, redes de esgotos.

Gel Inseticida Inodoro

Aplicação de inseticida em formulação gel tipo isca alimentar totalmente inodoro, de longa durabilidade o que mantém seu poder residual, sendo extremamente palatável e atrativo para baratas e/ou formigas, tornando-se um controlador rápido e eficiente; atuando após a ingestão direta ou indireta.

A aplicação destina-se aos focos ou áreas infestadas, pontos de passagem, alimentação e habitat do inseto a ser exterminado ou controlado tornando-se uma ferramenta indispensável para locais onde não seja possível a aplicação de inseticidas em outras formulações ou até pela praticidade

Controle de Cupins / Xilófagos

indivíduos que se alimentam de celulose e seus derivados.

Espécies mais encontradas nos domicílios:

O Chamado “cupim subterrâneo” é uma importante praga, pois destrói construções, móveis, etc., causando grande prejuízo ao ser humano. Sua fonte alimentar básica são os materiais celulósicos e lignocelulósicos sob diferentes formas (madeira viva ou morta). Normalmente a colônia principal está localizada no subsolo, mas há casos em que podem estar em estruturas altas, forros, caixões perdidos, provenientes de revoadas ou de sua própria proliferação. A dispersão da infestação desse tipo de cupim vem ocorrer também junto à rede hidráulica e elétrica. Ele não está localizado, pelo contrário, vive forrageando em busca de alimento e umidade. Esse forrageamento é contínuo e aleatório, devendo tratar a estrutura como um todo com barreira química e proteger todo o madeiramento fixo quimicamente. O tratamento profissional é fundamental para o controle dessa praga.

Técnicas e equipamentos utilizados para o controle

Pulverização, Injeção Líquida e barreira química

Tratamento de madeiramentos em geral via introdução de inseticida líquido diluído em solventes orgânicos por pequenos furos, em média 2 mm ao longo da peça tratada ou em suas interfaces como no caso de assoalhos de piso, rodapés, forrações em geral, batentes de portas e janelas, entre outros.

Aspersão de inseticida emulsionado em solução aquosa ou em solventes orgânicos.

A aplicação destina-se a superfícies diversas, como: jardins, madeiramentos, alvenaria entre outros.

Polvilhamento

Aplicação de produto inseticida formulado em matéria inerte tipo pó seco sem odor e com reduzido grau tóxico, com alto poder residual, atuando por contato.A aplicação destina-se a focos situados em pontos com eletricidade como, conduítes, caixas de fusíveis e telefone, centrais elétricas e motores e equipamentos elétricos em geral, luminárias, espaços falsos ou vagos como alguns tipos de forrações e caixas de passagem da rede de esgoto, bueiros, entre outras aplicações.

Barreira Química

Uma das soluções inibir a presença dos cupins subterrâneos é a barreira química, aplicada no perímetro interno e ao redor da edificação. O objetivo é proteger e evitar a entrada desses insetos pelas paredes e fundações, principais via de acesso ao imóvel. O serviço é realizado com equipamento profissional de perfuração. São executados furos a cada 30 ou 40 cm de distância ao redor de toda a edificação. Para injetar a calda cupinicida, formando assim uma barreira protetora que impedem o deslocamento dos insetos de um lugar para o outro.

Barreira Química Permanente

Proteção do perímetro e do alicerce da estrutura através de tubos perfurados para infiltração de solução química aquosa, seguida da instalação de um sistema de irrigação ao longo do perímetro interno e/ou externo para reabastecimentos futuros.

Família Kalotermitidae

Cupim de madeira seca – Cryptotermes brevis

Os soldados usam a cabeça para tapar a entrada da colônia. Os integrantes da colônia deixam pelotas fecais típicas em forma de pequenos grânulos. Pelotas fecais escuras devido a oxidação denotam infestação antiga. O gênero Cryptotermes tem distribuição mundial e é a mais importante praga entre os ditos cupins de madeira seca. Esta espécie é a segunda maior praga entre os cupins de áreas urbanas.

Métodos de controle

Injeção de produtos, onde se utiliza dos próprios furos da madeira feito pelos cupins. Pode ser feito utilizando-se seringas ou pequenos pulverizadores; pincelamento, aplicando-se o produto em três demãos; imersão, com eficiência no tratamento preventivo em peças avulsas e sem acabamento

Brocas – constituem duas superfamílias:

 Bostrichoidea:  Família Anobiidae

Conhecidas como brocas falsas, pois não só atacam madeiras, como folhas secas de diversas espécies. A cabeça é dobrada para baixo O corpo tem formato oval. Apresentam coloração castanha escura a preta. Medem de 1 a 9 mm de comprimento.

Atacam madeiras duras e macias, diversos produtos manufaturados e podem causar severos danos em livros, roendo goma da capa e abrindo galerias no papel. Depositam seus ovos em fendas ou orifícios existentes na madeira. Dificilmente reinfestam o mesmo local. Causam grande prejuízo por ter um ciclo de vida muito rápido, onde um casal produz 200 ovos em 10 dias e no mesmo local.

Família Bostrichidae

 Corpo em formato cilíndrico e tórax mais áspero, antenas em forma de clave e cabeça não destacada do corpo, ou seja, não visível olhando-se o inseto por cima. Sua coloração é castanho escuro. Os adultos medem de 3 a 6 mm de comprimento. Perfuram a madeira para depositar seus ovos e geralmente atacam madeira dura, podendo também atacar madeiras macias, incluindo bambo, vime, etc.

Família Lyctidae

Brocas verdadeiras, alimentam-se e desenvolvem-se de madeiras duras, infestando móveis, pisos, etc. Apresentam coloração marrom e medem de 3 a 5 mm de comprimento. A cabeça é destacada do corpo e o corpo tem formato achatado. Deposita seus ovos nos poros da madeira. Seu principal sinal de infestação é a presença de resíduos de madeira nas saídas dos túneis. Causam grandes danos por reinfestarem o mesmo local.

Curculionoidea:

A cabeça prolonga-se em um rostro, de formato mais ou menos alongado, reto e voltado para baixo. São da mesma família do bicudo do algodão. Atacam normalmente grãos armazenados, mas podem atacar madeiras moles.

Métodos de controle

Caso o uso de produtos de venda livre não dê resultado ou se a infestação já for grande, pode ser feito injeção e pulverização inseticida específico ou mesmo expurgo Fumigação e Expurgo – Aplicação de praguicidas na forma de gás, que penetra em todos os pontos da madeira, contaminando os cupins.

Neste tipo de aplicação, o madeiramento é embalado em uma câmara que evitará vazamentos e concentrará a ação fumigante.  Não podendo, portanto ser realizada em madeiramentos fixos. Esse tratamento e muito indicado para peças como pianos, oratórios, mesas, cadeiras, entre outros. Esse tipo de tratamento é apenas paliativo.