Ácaros

Todos os artrópodes pertencentes à Classe Arachnida (chamados de aracnídeos) têm o corpo fundido em cefalotórax e abdome, quatro pares de patas e não têm antenas. Os pertencentes à Ordem Acari têm, além das características comuns à todos os aracnídeos, o corpo achatado, as aberturas traqueais (que servem para a respiração) geralmente abdominais e as peças bucais localizadas na “falsa cabeça” (gnatosoma).

A Ordem Acari inclui os carrapatos e os ácaros das sarnas e do pó domiciliar.

Distribuição Geográfica

Encontram-se em todas as partes do mundo, sendo, portanto, chamados de cosmopolitas.

Características

Apresentam o corpo dividido em duas regiões: gnatosoma (anterior) e idiosoma (posterior). Na gnatosoma encontram-se as peças bucais: quelíceras e palpos ou pedipalpos.

As quelíceras possuem estruturas semelhantes à pinças em suas extremidades e servem para cortar ou perfurar seus alimentos. Os palpos ou pedipalpos auxiliam na alimentação. Em alguns ácaros, como nos carrapatos, existe ainda o hipóstomo, estrutura que auxilia na fixação do ácaro ao corpo do hospedeiro.

Dentre as subordens existentes na ordem Acari, as mais importantes do ponto de vista médico e veterinário são: Trombidiformes, Ixodides e Sarcoptiformes.

Principais Grupos de Ácaro

SUBORDEM Trombidiformes

Nessa subordem estão incluídas as famílias Demodecidae e Trombiculidae.

Família Demodecidae

São bem pequenos, medem cerca de 0,4mm de comprimento. Patas curtas, localizadas na região anterior do corpo. As espécies conhecidas são parasitas dos folículos pilosos presentes na pele dos humanos, causando o “cravo de pele”, que é um resultado de anomalias na eliminação do conteúdo das glândulas sebáceas presentes nestes folículos. A principal espécie causadora do cravo de pele é o Demodex folliculorum.

Ciclo Biológico

O acasalamento ocorre na abertura dos folículos pilosos do rosto, costas e peito dos humanos. As fêmeas grávidas vão para as glândulas sebáceas, onde depositam seus ovos, que eclodem cerca de 60 horas depois. Dos ovos saem larvas que em 6 dias transformam-se em adultos. Os adultos migram pela pele, principalmente durante a noite. É na fase antes do acasalamento que ocorre a transmissão para um novo hospedeiro, através de contato do novo hospedeiro com a pele daquele já parasitado.

Família Trombiculidae

Os adultos medem cerca de 1mm de comprimento e são de vida livre, ou seja, não são parasitas. Na verdade, os parasitas dessa família são as “larvas” que saem dos ovos depositados pelas fêmeas sobre a matéria orgânica no solo. As “larvas” são atraídas pelo gás carbônico eliminado por algum vertebrado durante a respiração e, assim, se aderem a ele. Após se alimentarem, caem no solo, onde realizam mudas para ninfas e adultos.

No Brasil, as espécies parasitas mais freqüentes dessa família são: Eutrombicola alfredugesi, E. batatas e Apolonia tigipioensis.

SUBORDEM Ixodides

Os ixodídeos, mais comumente conhecidos como carrapatos, parasitas externos (ectoparasitas) sugadores de sangue dos vertebrados, são acarinos de porte relativamente grande. Têm grande resistência ao jejum e são transmissores de vários causadores de doenças (bactérias, protozoários, vírus, etc), sendo portanto chamados de vetores. Além disso, servem também como reservatórios, pois transmitem esses causadores de doenças ao seus descendentes.

Dentro da subordem Ixodides há duas principais famílias: Argasidae e Ixodidae.

Família Argasidae

Os carrapatos da Família Argasidae não apresentem dimorfismo sexual, isto é, não possuem características que diferenciam facilmente a fêmea do macho. Tanto machos quanto fêmeas têm hábitos noturnos, quando sugam o sangue do hospedeiro. Cada sucção dura em torno de 30 minutos. De três a cinco dias após cada repasto sangüíneo (sucção), as fêmeas põem aproximadamente 100 ovos e cada uma delas pode colocar cerca de 800 ovos no total. Além dos ovos, os Argasidae têm pelo menos dois estágios ninfais durante seu ciclo de vida.

No Brasil, os gêneros Argas e Onithodorus incluem as principais espécies de importância parasitológica.

Família Ixodidae

Ao contrário dos Argasidae, os carrapatos da Família Ixodidae apresentam dimorfismo sexual: os machos, menores em tamanho, apresentam um escudo recobrindo toda a área dorsal. Este escudo pode apresentar faixas, manchas, etc.

No Brasil, esta família esta representada pelos gêneros: Anocentor, Boophilus e Rhipicephalus (cada um com uma espécie), Haemaphysalis (com 3 espécies), Ixodes (com 9 espécies) e Amblyomma (com 33 espécies).

Seu ciclo biológico é formado pelos estágios de ovo, “larva”, ninfa e adulto. Cada um desses estágios suga sangue durante alguns dias, antes de uma muda (ecdise) ou do início da postura de milhares de ovos pelas fêmeas. O desenvolvimento do ovo até o adulto depende muito das condições de temperatura. Geralmente, as baixas temperaturas prolongam os períodos dos estágios de desenvolvimento.

Durante o acasalamento (cópula), o macho introduz o espermatóforo, contendo os espermatozóides, no orifício genital da fêmea. Após a oviposição, que dura vários dias, as fêmeas morrem. Dos ovos saem “larvas” que sobem pelos arbustos ou paredes e ali esperam a passagem dos hospedeiros, para se aderirem a eles. Após sugar sangue do hospedeiro durante alguns dias, a “larva hexápoda” (com 6 patas) se transforma na ninfa, que é octópoda (tem 8 patas). A ninfa, após alguns dias, enche-se de sangue do hospedeiro e muda para o estágio adulto. As fêmeas, repletas de sangue, se desprendem do hospedeiro e põem de 3.000 a 10.000 ovos no solo. Já os machos permanecem mais tempo no hospedeiro, embora não suguem sangue ou suguem muito pouco.

SUBORDEM Sarcoptiformes

As espécies de Acari pertencentes a subordem Sarcoptiformes caracterizam-se por possuírem cutícula delgada, quelíceras em forma de tesoura, palpos simples, machos geralmente com ventosas copuladoras.

As famílias mais importantes são:

– Sarcoptidae, com a espécie Sarcoptes scabiei, agente da sarna.

– Pyroglyphidae, com a espécie Dermatophagoides farinae, responsável por manifestações alérgicas do aparelho
  respiratório.

Família Sarcoptidae

Os representantes dessa família possuem corpo globoso, medindo cerca de 400µm de comprimento por 300µm de largura; pernas curtas, sem garras. A cutícula é marcada por estrias finas, freqüentemente interrompidas por áreas com cerdas finas e flexíveis, espinhos curtos e robustos e escamas de forma triangular que são característicos do gênero Sarcoptes.

Existem diversas variedade de Sarcoptes scabiei, conforme o hospedeiro ao qual a variedade se adaptou: Sarcoptes scabiei variedade hominis – tem como hospedeiro o homem- , Sarcoptes scabiei variedade canis, que tem como hospedeiro o cão.

Os adultos perfuram túneis na pele, principalmente nas regiões entre os dedos, mãos, punhos, cotovelos, axilas e virilhas; podem também localizar-se nas nádegas, genitais externos, seios, costas e pernas. Ocorre o acasalamento e as fêmeas vão fazendo os túneis na pele e deixando atrás de si um rastro de ovos. De três a cinco dias após a oviposição, os ovos eclodem e deles saem “larvas hexapódas” (com 6 patas), que ficam se alimentando nesses túneis ou nas crostas que os recobrem presentes na superfície da pele até sofrerem muda e se transformarem em ninfas. Oito a dez dias depois as ninfas transformam-se em machos ou fêmeas adultos.
O ciclo do ovo até as fêmeas grávidas demora cerca de 20 dias.

Família Pyroglyphidae

As espécies conhecidas dos ácaros pertences à Família Pyroglyphidae foram agrupadas em duas subfamílias:

– Pyroglyphinae, com espécies encontradas em ninhos de roedores e aves;

– Dermatophagoidinae, com espécies encontradas em poeira doméstica, das quais quatro são freqüentemente vistas no Brasil: Dermatophagoides farinae, Dermatophagoides pteronyssinus, Euroglyphus maynei e Sturmophagoides brasiliensis.

Os Dermatophagoides passam pelos estágios de ovo, larva, ninfa e adultos, demorando cede 20 a 30 dias para completarem seu ciclo. Cada fêmea bota cerca de 25 a 50 ovos durante sua vida, a qual dura aproximadamente 20/30 dias. Necessitam de bastante umidade, temperatura entre 22-28ºC. Alimentam-se de descamação da pele presente na poeira doméstica. Portanto, locais repletos de poeira, sem utilização e limpeza freqüentes, tornam-se focos ricos nestes ácaros que, ao serem inalados, provocam problemas respiratórios em pessoas sensíveis.

Doenças Causadas por Ácaros

Espécies do gênero Ornithonyssus, conhecidos entre nós como “piolhinhos” de ninhos de galinhas, podem parasitar os humanos, sugando sangue e provocando uma dermatite, com prurido (coceira) intenso na maioria das vezes.

Dicas e Curiosidades

Os ácaros do pó das casas são considerados em todo o mundo, particularmente nos países ocidentais e industrializados, como a principal causa de alergias do aparelho respiratório.